Greve: Sintasa diz que não houve avanços em negociações
Categoria alega que a Prefeitura não avança nos acordos
Servidores manterão a greve por tempo indeterminado (Foto: Arquivo Infonet)

Em greve há 67 dias, os servidores da saúde do município alegam que as negociações com a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) não avançaram, motivando, assim, a permanência da greve. A afirmação é do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sintasa), que garante a suspensão das atividades por tempo indeterminado.

Na expectativa de conseguir uma audiência com o secretário Edgar D'Ávila Silveira, da Secretaria Municipal de Administração (SEMAD), os servidores realizaram na última quarta-feira, 23, um café da manhã em frente à sede da Prefeitura. Sem sucesso, a categoria reclama da falta de negociações para discutir as reivindicações.

O presidente do Sintasa, Augusto Couto, alega que as negociações caminham a passos lentos e que tentou conversar com o secretário Edgar Silveira, mas sem êxito. “Nós estivemos ontem na Prefeitura, onde fizemos um café da manhã, para tentar ser recebido pelo secretário da administração, mas ele não nos recebeu. Não ouve reposta por parte da Prefeitura, portanto a greve continua”, conta.

Outro lado

Em reposta, o Secretário Edgard Silveira afirma que o encontro com os sindicalistas não foi marcado e que está aberto a negociações. Segundo ele a situação está sendo debatida em reuniões semanais com a comissão permanente de negociação. “Eu estava numa reunião no conselho da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e guando voltei não tinha mais ninguém lá. Nunca me neguei receber os sindicatos. Há um processo de reforma do estatuto em andamento e estamos discutindo isso nas reuniões semanais. Contudo, a Prefeitura não pode conceder qualquer coisa que não tenha sido avaliado, tudo está sendo estudado, pois são grandes números. No entanto, estamos abertos a negociação”, explica o secretário.

Encontro

Nesta sexta-feira, 25, os servidores se reúnem em uma nova assembléia para avaliar a greve decidir sobre as novas mobilizações. O horário será ainda definido pela categoria.

Por Eliene Andrade

 

Samu: servidores fazem caminhada por melhorias

Trabalhadores denunciam que ambulâncias estão quebradas
 
 

Ambulância sendo puxada como forma de protesto (Fotos: Portal Infonet)

Os servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) realizaram na manhã desta segunda-feira, mais um ato contra a falta de condições de trabalho da categoria e reajuste salarial. A passeata seguirá até o Centro de Aracaju, onde está a sede da Fundação Hospitalar da Saúde. Os servidores estão em greve desde o dia 27 de março.

Durante o ato, os servidores empurravam uma ambulância sucateada para mostrar à sociedade as condições do veículo, o qual é, segundo os servidores, são obrigados a trabalhar para atender a população.

“A gente quer mostrar à população o caos que é o serviço, pois os carros quebram na rua, as sirenes de pastilha de freio também quebram, sempre. O Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) continua retendo maca e isso atrasa o atendimento aos pacientes. A gente tem que mostrar à população que o que acontece de deficiência no atendimento é em consequencia da estrutura do serviço”, reclama o presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe (Sindiconam), Adilson Melo.


 

 

Apoio

Trabalhadores da área da saúde, a exemplo dos enfermeiros, telefonistas, rádio-operadores, técnicos e auxiliares de enfermagem, marcaram presença no ato. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde (SINTASA) o problema atinge todos os trabalhadores da categoria.

“Os mesmos problemas são enfrentados pelos os técnicos e enfermeiros, pois eles sofrem juntos com esses trabalhadores, queremos que o governo veja o que eles passam. O ato simbólico é para mostrar a rotina desses profissionais. Isso é o que acontece diariamente com as ambulâncias do Samu”, diz.

FHS

Em nota encaminhada pela Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) na última sexta-feira, 14, a assessoria de comunicação lembra que na última quarta-feira, 9, o governador  se reuniu com representantes dos Sindicatos dos Trabalhadores na Área de Saúde, dos Enfermeiros e dos Condutores do Samu e que o Governo  assumiu o compromisso de trabalhar para melhorar as instalações da base do Samu. Quanto às reivindicações salariais, Jackson pediu a eles um prazo até o dia 30 de abril para estudar as propostas junto com os setores especializados do Governo e atender LRF.

 

Caminhada segue até o Centro de Aracaju

 

Funcionários do SAMU fazem passeata por melhoria de condições

 
 
 Categoria reclama de condições de trabalho e das ambulâncias que prestaram atendimento à população.(Foto: Magna Santana)

(Foto: Magna Santana)

Categoria reclama de condições de trabalho e dasambulâncias que prestaram

atendimento à população.

Funcionário do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da capital e do interior sergipano se reuniram na manhã desta segunda-feira (14) para uma mobilização no Centro de Aracaju. A categoria vem buscando melhores condições de trabalho e ambulâncias aptas a realizarem o atendimento à população.

Segundo Shirley Morales, enfermeira que trabalha no SAMU, a reclamação dos funcionários não é por melhores salários, mas por uma condição de trabalho melhor. “Várias categorias estão reunidas em prol de melhores condições de trabalho. Não há como realizar um bom serviço à população quando faltam insumos e ambulâncias problemáticas. É por isso que, durante assembleia, decidimos por essa mobilização”, contou.

Com saída da base do SAMU na capital, no bairro Siqueira Campos, os funcionários seguiram até o Centro de Aracaju onde, em frente à sede da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), fizeram suas reivindicações.

De acordo com os funcionários, há anos que existem insatisfações e que a categoria vem cobrando, no entanto, Governo e Prefeitura ainda não deram um posicionamento favorável, o que tem prejudicado a assistência à população.

 

Ambulância do Samu pega fogo em frente a maternidade
Categoria cobra melhores condições de trabalho
Condutores pedem melhoria nas condições de trabalho (Foto: Ilustrativa/ Arquivo Infonet)

Uma ambulância da Unidade de Suporte Básica (USB) pegou fogo na tarde desta sexta-feira, 18, em frente a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, segundo informações de uma das profissionais que estava de serviço.

A técnica de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Marleide Barbosa conta que estava na viatura quando o episódio ocorreu. “A gente estava indo levar uma gestante em trabalho de parto na Lurdinha e quando a gente estacionou e foi levar a paciente, ela [ambulância] começou a fumaçar o motor. Ligamos para a frota e quando chegaram e tentaram ligar, a ambulância não pegou mais”, diz.

Marleide Barbosa diz ainda que a ambulância continua estacionada em frente a Maternidade para ser guinchada. “Uma viatura da Barra dos Coqueiros vem para que possamos trabalhar”, conta.

Segundo o condutor do Samu, Dienis Celestino, algumas viaturas das Unidades de Suporte Avançado (USA) estão sem circular no interior do Estado por falta de médico, enfermeiro ou dos dois profissionais. As viaturas são dos municípios de Rosário do Catete, Porto da Folha, Tobias Barreto, Lagarto, Canindé do São Francisco e Indiaroba.

Melhores Condições

Na última segunda-feira, 12, os servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) realizaram um ato contra a falta de condições de trabalho da categoria e reajuste salarial. Durante o ato, os servidores empurravam uma ambulância sucateadapara mostrar à sociedade as condições do veículo, o qual é, segundo os servidores, são obrigados a trabalhar para atender a população.

Estado

A equipe do Portal Infonet entrou em contato com a assessoria de comunicação do Samu que encaminhou uma resposta ao Portal Infonet neste sábado, 19. Segundo a assessoria, duas ambulâncias apresentaram problemas técnicos e se encontram na MNSL para serem guinchadas. Outras duas viaturas já foram substituídas para atendimento da população. Só há uma viatura parada em Socorro. Mesmo assim, uma USB e uma USA estão em atividade no município. 

A matéria foi alterada às 11:38 deste sábado, 19, para acréscimo de resposta da assessoria

Por Aisla Vasconcelos