Samu: servidores fazem caminhada por melhorias

Trabalhadores denunciam que ambulâncias estão quebradas
 
 

Ambulância sendo puxada como forma de protesto (Fotos: Portal Infonet)

Os servidores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) realizaram na manhã desta segunda-feira, mais um ato contra a falta de condições de trabalho da categoria e reajuste salarial. A passeata seguirá até o Centro de Aracaju, onde está a sede da Fundação Hospitalar da Saúde. Os servidores estão em greve desde o dia 27 de março.

Durante o ato, os servidores empurravam uma ambulância sucateada para mostrar à sociedade as condições do veículo, o qual é, segundo os servidores, são obrigados a trabalhar para atender a população.

“A gente quer mostrar à população o caos que é o serviço, pois os carros quebram na rua, as sirenes de pastilha de freio também quebram, sempre. O Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) continua retendo maca e isso atrasa o atendimento aos pacientes. A gente tem que mostrar à população que o que acontece de deficiência no atendimento é em consequencia da estrutura do serviço”, reclama o presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe (Sindiconam), Adilson Melo.


 

 

Apoio

Trabalhadores da área da saúde, a exemplo dos enfermeiros, telefonistas, rádio-operadores, técnicos e auxiliares de enfermagem, marcaram presença no ato. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde (SINTASA) o problema atinge todos os trabalhadores da categoria.

“Os mesmos problemas são enfrentados pelos os técnicos e enfermeiros, pois eles sofrem juntos com esses trabalhadores, queremos que o governo veja o que eles passam. O ato simbólico é para mostrar a rotina desses profissionais. Isso é o que acontece diariamente com as ambulâncias do Samu”, diz.

FHS

Em nota encaminhada pela Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) na última sexta-feira, 14, a assessoria de comunicação lembra que na última quarta-feira, 9, o governador  se reuniu com representantes dos Sindicatos dos Trabalhadores na Área de Saúde, dos Enfermeiros e dos Condutores do Samu e que o Governo  assumiu o compromisso de trabalhar para melhorar as instalações da base do Samu. Quanto às reivindicações salariais, Jackson pediu a eles um prazo até o dia 30 de abril para estudar as propostas junto com os setores especializados do Governo e atender LRF.

 

Caminhada segue até o Centro de Aracaju

 

Funcionários do SAMU fazem passeata por melhoria de condições

 
 
 Categoria reclama de condições de trabalho e das ambulâncias que prestaram atendimento à população.(Foto: Magna Santana)

(Foto: Magna Santana)

Categoria reclama de condições de trabalho e dasambulâncias que prestaram

atendimento à população.

Funcionário do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da capital e do interior sergipano se reuniram na manhã desta segunda-feira (14) para uma mobilização no Centro de Aracaju. A categoria vem buscando melhores condições de trabalho e ambulâncias aptas a realizarem o atendimento à população.

Segundo Shirley Morales, enfermeira que trabalha no SAMU, a reclamação dos funcionários não é por melhores salários, mas por uma condição de trabalho melhor. “Várias categorias estão reunidas em prol de melhores condições de trabalho. Não há como realizar um bom serviço à população quando faltam insumos e ambulâncias problemáticas. É por isso que, durante assembleia, decidimos por essa mobilização”, contou.

Com saída da base do SAMU na capital, no bairro Siqueira Campos, os funcionários seguiram até o Centro de Aracaju onde, em frente à sede da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), fizeram suas reivindicações.

De acordo com os funcionários, há anos que existem insatisfações e que a categoria vem cobrando, no entanto, Governo e Prefeitura ainda não deram um posicionamento favorável, o que tem prejudicado a assistência à população.

FHS realiza visita técnica ao Samu

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Saúde (Sintasa), Augusto Couto, o cumprimento da determinação do governador de Sergipe é visto com bons olhos.

 

Uma visita técnica foi realizada na manhã desta sexta-feira, 11, à base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe) no bairro Siqueira Campos, conforme determinação feita pelo governador do Estado, Jackson Barreto, durante uma audiência ocorrida na última quarta-feira, 9. A audiência, que objetivou discutir aspectos relacionados às reivindicações dos trabalhadores da área da saúde, contou com a presença do secretário chefe da Casa Civil, José Sobral, dos diretores geral e operacional da Fundação Hospitalar da Saúde (FHS), Hamilton Santana e Wagner Andrade, além dos representantes dos Sindicatos dos Trabalhadores na Área da Saúde, dos Enfermeiros e dos Condutores do Samu.

 

Ao percorrer todos os segmentos da base Siqueira Campos e interagir com trabalhadores do Samu, o diretor geral da FHS reavaliou as demandas apresentadas pelos sindicalistas durante a audiência, no sentido de tomar as providências necessárias para equacioná-las. "O Comando de Greve representado por tais sindicatos apontou diversos procedimentos que precisavam ser resolvidos, parte deles relacionados à infraestrutura da base sede do Samu e aos equipamentos utilizados nas ambulâncias. Ao comprová-los e elencá-los, tomaremos as devidas providências", esclareceu Hamilton Santana.

 

Conduzindo a visita e apontando as melhorias já alcançadas pelo Samu, bem como as fragilidades a serem sanadas, a superintendente do Samu 192 Sergipe, Luciana Prudente, aprovou a iniciativa do governador refletida no interesse da FHS em acompanhar as reivindicações dos sindicalistas e dinamizar ações favoráveis aos direitos dos trabalhadores.

 

"Fico feliz com a ação do corpo diretivo da FHS, disposto a contribuir e a testemunhar os avanços já alcançados pela gestão do Samu 192 Sergipe. Ao longo dos meses, conseguimos melhorar a estrutura física da base Siqueira Campos e as condições de equipamentos, como ar condicionados, de forma a atender os anseios das equipes de plantão. Melhoramos também a condição elétrica de acesso à internet, o que facilita a interlocução dos profissionais, e aperfeiçoamos a ambiência e a distribuição da gestão, de modo a operacionalizar ações efetivas relacionadas à frota, bem como à agilidade necessária junto ao usuário  do Serviço", explicou.

 

Sindicalistas

 

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Saúde (Sintasa), Augusto Couto, o cumprimento da determinação do governador de Sergipe é visto com bons olhos. "Se hoje o corpo diretivo da FHS vai até o Samu juntamente com o Comando de Greve, ampliamos nossas perspectivas voltadas para a melhoria do Serviço. Trata-se da constatação das demandas apresentadas pelos sindicalistas e a evidência de que há interesse pela agilidade nas resoluções das problemáticas apresentadas. A visita é positiva e inspira a construção coletiva de ações produtivas", considerou Couto.

 

Segundo o presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe (Sindiconam), Adilson Melo, o interesse em sanar problemas estruturais implica em visualizarmos avanços no Samu. "O sindicato aguarda melhorias e se mantém disposto a atentar para as deliberações do Governo de Sergipe, no sentido de vermos atendidos com êxito os anseios dos trabalhadores e do próprio Serviço", almeja o sindicalista e condutor do Samu 192 Sergipe, que acompanhou a visita técnica também realizada na garagem onde se encontram as ambulâncias.

 

Outras reivindicações

 

O diretor presidente da FHS ainda ressalta que as reivindicações salariais feitas pelo Comando de Greve estão sendo analisadas por técnicos da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão de Sergipe (Seplag). Conforme o esclarecido na audiência da última quarta-feira, 9, foram recebidos documento com pleitos diversos, uma vez que na área do Samu existem funcionários oriundos da Prefeitura de Aracaju, celetistas da Secretaria de Estado da Saúde e celetistas da FHS, o que representa um quadro a ser estudado e analisado.

Por: JornladaCidade.Net